Buscar
  • Mauricio Cruz

We are Liverpool

Ser Liverpool é gostoso demais. Apaixonante. Cheio de histórias para contar.


O time Jason, que não morre nunca. O time dos milagres. Do impossível.


Dos 4x0 contra o Barça. Dos 4x3 contra o BVB. Dos 3x3 de Istambul, que continuará sagrada para o Liverpool.


Do gol de goleiro aos 94 minutos de jogo.


Semanas atrás, eu mesmo vim aqui mais pra baixo que o Kane no Tottenham, dizendo que não pegaríamos nada, nem UCL, nem EL, nem gripe, nem Covid... E agora estamos assim. Mesmo sem VVD, Gomez, Matip, Hendo lesionados por séculos. Mesmo sem Alisson, Thiago, Fabinho, Jota, que se quebraram por no mínimo 3 meses dentro da temporada. Mesmo com Mané e Firmino em suas piores temporadas ever. Com zagueiros vindo de divisões inferiores da Alemanha, Robbo morto de cansado e TAA dando a volta por cima no meio da temporada. Mesmo com tudo isso, estamos na briga. Numa conta simples, se ganharmos do Palace e o United perder pros Wolves no Molineux, placares comuns e plausíveis, estaremos a 2 pontos do melhor Manchester United os últimos anos. 71 a 69 pontos. E a gente tendo essa temporada mal-assombrada que expliquei acima. Se quiser ser mais otimista, pensem numa derrota/empate do Chelsea para o Aston Villa de Grealish no domingo e podemos ficar a frente até do Ultimate Team/My Club de Roman Abramovich. E a gente tirando a cabeça para fora da água agora...


Tudo isso é tão Liverpool, que nos últimos dias Firmino marcou várias vezes, goleamos os Devils no Old Trafford, o referido Alisson fez um gol decisivo no último minuto de jogo, Phillips salvou duas bolas em cima da linha, Ox e o próprio zagueiro-guerreiro marcaram e Salah agradeceu aos céus por um gol anulado do adversário, além de vibrar como um doente ao marcar contra o Manchester vermelho. É muito Liverpool.

Montanha russa de emoções!! Fonte B/R Football
Montanha russa de emoções!! Fonte B/R Football

A Montanha Russa Vermelha de emoções foi a cara de nossa temporada. Em 5 meses fomos da liderança, ao oitavo lugar desesperador até chegar a vaga na Champions League na última rodada. Que loucura!


Renascimento, palavra tão bonita, permeou o elenco. TAA, gigante, retomou seu futebol igualmente grandioso. Firmino, preterido por boa parte da torcida, escolheu o Derby para dar a volta por cima. Thiago, que começou com o pé esquerdo, ajustou sua direitinha calibrada e, ao lado de Fabinho no meio, conquistou 23 dos últimos 27 pontos. Imaginem que o capitão Henderson é o terceiro homem desse meio de campo. Apenas imaginem onde podemos chegar na próxima temporada com esse trio a frente de VVD e Gomez/Konaté/Matip/Phillips (esses 4 que lutem!). Com Alisson e a melhor dupla de laterais do mundo. Deus, alguém nos pare. Sem falar no Trio Calafrio. Qual time do mundo não teme Salah-Mané-Firmino?


Tudo indica que vamos chegar na Champions. Na Europa League já estamos. E aquele papo de "deixar chegar" é real. Noites europeias de Anfield tem um peso especial. Um gosto especial. A relação do Liverpool com competições internacionais sempre foi singular. Única.


Foi tumultuada. Instável. Cheia de tropeços.


Mas chega ao fim mais uma temporada. Com altos e baixos. Mas uma viagem que, no mínimo, foi gratificante. Energizante. Emocionante. Inesquecível, sim.


Ser Liverpool é sensacional.


Tem lugar para mais alguns... Quer se juntar a nós? Você nunca se vai se arrepender!


#YNWA