Buscar
  • Mauricio Cruz

Vai ter crise, sim

E se reclamar tem pegação de pé nos ídolos também.

Depois da derrota para o Chelsea ontem, 2 a 0, e a consequente a eliminação da Copa da Inglaterra, mesmo jogando com um misto quente que eu tinha pedido, a luz amarela de atenção foi ligada na nossa cara.

Óbvio, não sou idiota. Ficamos 44 jogos invictos na Premier. Temos 22 pontos de diferença para o Manchester City, segundo colocado. Os números são claros e brigar com eles é bobagem.

Das últimas quatro partidas, são três derrotas e uma vitória que só Deus permitiu, contra o West Ham no Anfield.

Sim, é uma pequena crise.

Klopp sabe disso ao dizer que precisamos nos recuperar após o novo revés contra os blues em Londres. “Renascer” foi a palavra que usei aqui, essa semana, não é?

Se quer saber, achei até que fomos melhores ontem. Perdemos muitos gols e paramos em Kepa. O gol do Chelsea saiu numa falha de Adrian (depois dele ter feito uma defesaça), e isso só desestruturou ainda mais o emocional combalido do time. A defesa ainda está uma peneira - apesar da volta de Gomez ao lado de VVD. Mesmo assim, insisto que até tomar o segundo gol num pega ratão azul, estávamos relativamente bem.

Vejam, estou comparando com o jogo contra o Watford (onde não chutamos uma maldita bola no gol) e contra o Atleti (onde Oblak não sujou seu uniforme). Seria um sinal tênue de melhora? Pode ser que sim.

Não é desculpa esfarrapada. Mas o cansaço está pesando. Firmino, Mane e Robertson estão exaustos e dependem muito do físico. Já disse que nosso time é muita transpiração e depois inspiração. Com Klopp sempre foi assim. No limite da potência física.

O símbolo dessa vibe, o capitão Hendo, está fora de combate. Qual foi a última vez que você viu Bobby roubando uma bola no campo de ataque de forma efetiva? O brasileiro, em especial, está morto. Tenho vontade de reclamar do japonês recém chegado? Claro! De execrar Lovren pelo jogo no Vicarage, sábado? Com certeza! Crucificar Fabinho, que voltou mal demais da lesão e não acerta absolutamente nada? Sim! Mas não é só isso que está acontecendo.

A temporada está acabando, e parece loucura cobrar esse time já mágico e histórico por mais. Não tenho cara para isso. Mas peço encarecidamente um último suspiro, um esforço terminal, para não jogarmos tudo de lindo que construímos fora, em um mês.

Eu acredito em vocês, rapazes. Acredito que ainda somos o melhor time do mundo.

#YNWA