Buscar
  • Lucas Bastos Thimoteo

Treinadora Vick Jepson comenta sobre o rebaixamento da equipe

Texto traduzido por @Lucas_Timotheo do Made For LFC Women

Técnica das Liverpool Women falou com o Echo (Foto: liverpoolfc.com)

PUBLICADO ORIGINALMENTE EM LIVERPOOL ECHO


"Os registros dos livros dirão que as Liverpool Women foram rebaixadas da Women’s Super League na última temporada - mas não é tão simples assim.


Ainda tínhamos oito jogos para serem disputados - um terço da temporada da liga - quando a Football Association decidiu finalizar a liga com base em pontos por jogo.


Achamos isso injusto, pois não tivemos a chance de concluir nossa temporada. De decidir sobre a integridade esportiva, e não com uma calculadora. Então foi um momento bruto e emocional, ficamos com raiva e frustradas.


Quando anunciei a notícia para as jogadoras, haviam lágrimas. Elas estavam nervosas e soltaram muitos palavrões. Havia um ponto entre nós e Birmingham e ainda tínhamos oito jogos.


Todas elas tiveram suas frustrações e eu estava com elas o tempo todo. Mas então, nos reorientamos. Estamos há quatro semanas já em treinamento e temos um ambiente feliz.


Agora temos um novo capítulo com novo calendário e novos objetivos. As meninas sabem o que são e sabem o que é esperado delas. A vibração com as novas jogadoras chegando é realmente revigorante e é um ótimo momento para estar junto deste grupo.


As garotas estão em um ótimo lugar e eu tive o prazer de renovar alguns contratos na equipe, assim como as receber três novas contratações do clube: Taylor Hinds, Amalie Thestrup e Rachael Laws.

Nesta temporada, vamos ignorar tudo que vier de fora. Qualquer crítica, não estamos interessadas em ouvir. As únicas pessoas com quem nos preocupamos são as que carregam com si o nosso escudo, e que representam as LFC Women. Isso é tudo que importa.


Não estamos aqui para assumir pressão externa até porque nós já temos a nossa. Todo mundo tem essa pressão aqui no clube, desde o sub-10. Esse é o poder do nosso escudo. E é um privilégio ter pressão. Vamos honrar e levar isso conosco.


Minha tarefa agora é ganhar as partidas e jogar um futebol atraente. Isso de fato acaba chamando mais fãs. Esperamos jogar em Anfield novamente nesta próxima temporada e conseguirmos mais de 23.000 fãs no estádio.


Eu penso que o jogo (no Anfield) da temporada passada foi incrível tanto para o Everton quanto para o Liverpool. Foi um jogo atraente e ousado, como seria de se esperar, vindo de um clássico. Então, teremos outras partidas lá e, esperançosamente, o resultado será nosso desta vez.


Eu tenho um bom relacionamento com Jürgen. Quando fomos removidas da liga, isso chegou a ele. Ele, através do Zoom, ligou para falar com as meninas. Ele já passou por um rebaixamento, então sabe todas as emoções que isso pode acompanhar.


Ele também sabe como usar isso como motivação para se recuperar e dar uma volta por cima. Ele foi incrível com as meninas. O Wi-Fi dele não era o melhor, mas foi ótimo para as meninas ouvi-lo falar.

Foi apenas o Jürgen conversando com a equipe, informando que ele sente a dor delas é que ele estará com elas nessa temporada.


E depois o Steven Gerrard também telefonou para nós. Ele falou sobre como lidar com as adversidades, se recuperando e provando que as pessoas estão erradas sobre nós.


No dia em que fomos rebaixadas, o Peter Moore (ex-CEO do Liverpool) nos ligou direto, o Mike Gordon (presidente da FSG) também. Eu acho que nós recebemos muitas críticas injustas de certos setores sobre o clube não apoiar as equipes femininas. Eu consigo sentir esse apoio e, se eu não sentisse, eu não estaria aqui."