Buscar
  • Felipe Sales

Transferências: o balanço final da janela de verão do Liverpool

Texto por @_salesfelipefs da @LFCBrNews

Diogo Jota foi a contratação surpresa do Liverpool nessa janela (Foto: liverpoolfc.com)

A janela de transferências de verão gerou algumas mudanças no Liverpool Football Club. Idas, vindas, permanências e até contratações surpreendentes.

Quatro contratações, uma grande surpresa

No Liverpool chegaram quatro jogadores: Kostas Tsimikas, comprado do Olympiakos por £11,75 milhões; Thiago Alcântara vindo do Bayern de Munique, negócio fechado em cerca de £27 milhões; Diogo Jota, contratado junto ao Wolverhamptom, a mais cara da janela, por £41 milhões; E a última negociação do jovem goleiro Marcelo Pitaluga, brasileiro, comprado do Fluminense no valor de £700 mil + bônus.


As contratações dos Reds foram pontuais, como sempre. Reforçamos o elenco em posições carentes, preenchemos a vaga do reserva na lateral-esquerda, e um meio-campista criativo chegou. No ataque encontramos um backup para o trio, e ainda teve uma surpreendente contratação do jovem Pitaluga, algo pensado para o médio e longo prazo.


Saídas necessárias, principalmente para as finanças

Rhian Brewster foi, provavelmente, a venda menos esperada pela torcida (Foto: Twitter @RhianBrewster9)

Para balancear as contas cinco atletas foram vendidos: Lovren ao Zenit, por £11M; Ki-Jana Hoever negociado permanentemente com os Wolves por cerca de £10 milhões + bônus; Rhian Brewster foi parar no Sheffied, os Blades pagaram £23 milhões ao Liverpool; Ovie Ejaria foi vendido ao Reading por £3,5M; e Herbie Kane foi comprado pelo Barnsley por £1,25 milhões + cláusula de 15% numa venda futura.


Além das negociações permanentes, alguns atletas foram cedidos por empréstimo até o final da temporada. Loris Karius e Taiwo Awoniyi atuarão no Union Berlin; Marko Grujic no Porto; Harry Wilson e Sheyvi Ojo foram para o Cardiff City; o jovem Ben Woodburn se juntou ao Blackpool; e Harvey Elliott é o novo jogador do Blackburn Rovers.


As vendas foram ótimas oportunidades de mercado, Hoever e Brewster perderam espaço no elenco principal e as suas saídas eram eminentes. Os empréstimos foram necessários para dar rodagem aos jovens do elenco, salvo o caso de Marko Grujic, que saiu por conta da concorrência no meio-campo, e Loris Karius, por todo o seu histórico no clube.


Portanto, avalio a janela com a nota 8. Os esforços da FSG num período de pandemia foi algo surpreendente, negociações parceladas e vendas com ótimas cláusulas visando o futuro.