Buscar
  • Mauricio Cruz

Time caseiro

Atualizado: 20 de Fev de 2020


Liverpool sentiu a pressão do Wanda Metropolitano (Foto: liverpoolfc.com)

Apesar de até uma criança de 10 anos saber que o Atlético de Madrid iria se fechar feito um caramujo, mesmo jogando no Wanda Metropolitano, paramos no(s) ônibus colchonero e perdemos a ida das oitavas de final por 1x0. Claro, a coisa toda ficou pior quando Saul achou um “sobration” dentro da pequena área e fez o gol espanhol ainda aos 4 minutos de partida.


Podemos falar que Simeone fechou bem o time e anulou Trent e Firmino, nossas peças que fazem o todo funcionar tão bem. Podemos falar que Renan Lodi deu muito trabalho pro lado direito de nossa defesa. Podemos agradecer a existência de Morata com a 9 rojo y blanca, porque ele tropeçou, literalmente, na pelota várias vezes e não ampliou o placar. Podemos falar da estranha substituição de Salah. Da má fase de Fabinho.

Mas eu prefiro falar da nossa ineficiência fora de casa na Champions – e em outras competições europeias recentes, porque não. Inoperância que não é de hoje. “Tá chorando de barriga cheia?” Não. Estou sendo realista e não escondendo a sujeira para debaixo do tapete.

Nossa última derrota? Napoli, fora, pela Champions. Temporada passada, perdemos pro Napoli (outra vez), pro PSG, pro Estrela Vermelha (Cristo!) e pro Barcelona fora de casa. E ontem, novamente, se repetiu. Já inumerei todas as razões da derrota de ontem, mas não é estranho o time sair da Terra do Chá e tomar taka? Tenho que ouvir de perfis europeus nas redes sociais que a Premier League está com um nível pra lá de discutível, porque não perdemos nunca por ela. Mas é só cruzar as fronteiras da Inglaterra que a coisa engrossa. Perdemos. E andamos em campo. Seria o clima? Alguma coisa na água? Na comida?


Brincadeiras a parte, tenho que ouvir que, desde sempre, os ingleses afinam contra os espanhóis. Tirando a mágica virada contra o Barcelona, perdemos pro Real Madrid na final da Champions, jogamos duas vezes com o Sevilla na temporada retrasada e não ganhamos nenhuma, perdemos para o Villareal na semifinal Europa League de 2016 (revertemos no Anfield para perder do Sevilla na final). Pô, talvez os detratores tenham razão: que só jogamos na Terra da Rainha e que não gostamos dos espanhóis.

Será muito difícil reverter o placar no Anfield. Mas precisamos. Somos quase obrigados. Não só para chegar as quartas de final da Champions League e se colocar como candidato oficial a ganhar a orelhuda outra vez.


Mas para calar a boca dos críticos.


Para bater no peito, e falar, com orgulho que somos o melhor time do mundo!


E não temos medo de ninguém.


#YNWA