Buscar
  • Mauricio Cruz

#TBT – A volta do gigante

Depois de um longo e tenebroso inverno, Virgil Van Dijk está de volta. Na verdade, tenebroso inverno, verão, primavera, outono. VVD ficou fora por quase um ano.


“Que satisfação, aspira”.


Como é bom ver o ciborgue vermelho voltar a jogar bola. A reestreia se deu nessa tarde, contra o Hertha Berlin num amistoso na Áustria. Ele entrou aos 68 minutos de jogo, quando o Hertha já vencia por 3x2. De quebra ganhou a braçadeira de capitão, já que a maioria do time era da molecada. Gomez também voltou. VVD deu uma escorregada no 4º gol dos alemães, mostrando falta de ritmo de jogo, mas o cara ficou 9 meses sem jogar bola. Absolutamente natural. A peleja acabou 4x3 por Hertha.

Momento que todos esperávamos!  Fonte: Twitter
Momento que todos esperávamos! Fonte: Twitter

O #tbt de hoje é uma espécie de comemoração de toda a torcida apaixonada do Liverpool. Que não vê o melhor zagueiro do mundo envergar a camisa 4 Red desde o longínquo dia 17 de outubro de 2020, após entrada criminosa de Jordan Pickford no clássico Derby de Liverpool no Goodison Park. O pequeno rival achou que ia minar os sonhos do Gigante na porrada? Ledo engano. O homem voltou.


E tanta coisa mudou desde aquele dia. Para o bem e para o mal. Quando Virgil se lesionou, tínhamos uma série invicta em Anfield desde 2017. Aliás, com VVD em campo, o Liverpool ainda não perdeu em casa pela Premier. Wow! Sem o monstro, perdemos 6 seguidas em nossos domínios, fato inédito no clube, apesar dos esforços de quem tentava, em vão, substituir VVD. De positivo, a criação de novos líderes no elenco, como Robbo e Salah. A descoberta do raçudo Nat Phillips. O espírito coletivo que, ao que que parece, jogou pelos lesionados.


Como substituir Virgil Van Dijk? Serei cancelado, mas nem o badalado Sergio Ramos, el bandidón, conseguiria. Se dentro de campo o cara é um colosso, fora dele é ainda melhor. Une o elenco a sua volta, se dá bem com todos, e é um líder nato. Para quem não acredita, fomos guerreiros demais em terminar bem a temporada sem nosso mais significativo jogador. Técnica e animicamente.


Quem também sentiu a falta do holandês foi sua seleção. A Holanda se arrastou na Euro até ser eliminada pela comum seleção Tcheca. Coincidência ou não, a Laranja voltou a se destacar no mundo das seleções quando a braçadeira de capitão chegou no nosso beque cabeludo. Sem ele, ficaram sem rumo, como nós.


E hoje, a volta. De novo serei xingado até 2027, mas a volta do Gigante é nossa maior contratação nessa janela. O impacto desse retorno é maior do que qualquer contratação mequetrefe. Claro que o esvaziamento de nosso Departamento Médico é uma grande notícia. Gomez, Matip, Hendo até Keita.


Mas para todos os outros tivemos um substituto, nem que seja parcial, esforçado.


O gigante VVD é insubstituível!


Bem vindo de volta, Virgil!


#YNWA