Buscar
  • Marco Aurélio Júnior

“Sorte que são ruim”

Atualizado: 27 de Jan de 2020


É aquele famoso ditado: sorte que eles são ruins! Vencemos, 2 a 0, ambos os gols foram do Salah. Mas que joguinho estranho.


O Liverpool mantém a invencibilidade, inclusive conquistando o primeiro clean sheet em Anfield na Premier League, mas isso não foi por mérito, mas sim demérito adversário.

Um primeiro tempo fraco, erro atrás de erro e um sistema defensivo tomando bola nas costas a todo o momento.


Foi necessário um erro de bola parada adversária para Firmino, de costas, lançar Mané no contra-ataque. O senegalês botou na frente para Salah que, puxando para a direita, marcou um golaço.


Vale o destaque, com Doucouré e Sarr o Watford perdeu duas chances claríssimas de gol, ambos livres dentro da área furando o chute. Pois é, sorte não é mesmo?


O segundo tempo foi igual, Watford melhor, Liverpool irregular na partida. Tanto, que Van Dijk quase marcou contra o próprio patrimônio, pura desatenção.


No início da segunda etapa Mané teve um gol impedido, o que não diminui o fato de que o Liverpool jogou mal. Apenas aos 89 minutos, com um espaço aberto pela direita, Chamberlain conseguiu enfiar a bola para Mané, que passou para o Origi errar o chute e a bola parar nos pés de Salah, que de letra botou no fundo do gol.


Mais sorte que juízo!

Melhor em Campo: Mohamed Salah. O egípcio fez uma partida boa, embora perdendo boas oportunidades. Fez dois bons gols, garantindo a vitória vermelha.


Destaque Positivo: Oxlade-Chamberlain. Entrou bem, conseguiu, em poucos minutos, criar boas jogadas, inclusive iniciando o lance do segundo gol.


Destaque Negativo: Jordan Henderson. O capitão não entrou bem. Claramente desconcentrado, errou lançamentos relativamente fáceis, não se posicionou bem e acabou não agregando em nada dentro de campo. Talvez só ajudou com a liderança de um capitão.