Buscar
  • Anderson Zotto

Opinião: estatística não é tudo!

Texto por @zottoanderson

Jordan Henderson foi eleito o jogador do ano na Inglaterra pelos jornalistas (Foto: liverpoolfc.com)

Jordan Henderson recebeu o prêmio da Football Writers Association (FWA) Footballer of The Year, concedido ao melhor jogador do campeonato inglês eleito pelos jornalistas. E bastou isto para se instalar uma gigantesca polêmica nas redes sociais.


O capitão Henderson talvez seja um dos jogadores mais dedicados, esforçados e com a melhor evolução que já passaram pelo Liverpool, e talvez até mesmo no futebol britânico. E nesta temporada provou ser um pilar imenso, com o clube sentindo muito sua ausência nas partidas que ele ficou de fora.


E por isso tenho de vir a dizer que sim, Jordan Henderson merece totalmente o seu prêmio de melhor jogador do campeonato inglês na temporada 2019/20.

Podemos até criticar, por vezes a FWA acaba escolhendo com um tanto de polêmica, devido à sua democracia interna que computa votos como uma eleição, onde às vezes ganha o preferido, e não o melhor. Compreensível, mas vejo acumularem críticas totalmente insensatas na análise do prêmio.


Afinal, já vi pessoal comparando as estatísticas de Henderson com a de outro possível concorrente, Kevin de Bruyne. Como se o futebol fosse definido pela crueldade gélida e dura dos números.


Não vou ser mentiroso ou clubista, o belga jogou muita bola, realmente, mas qual seria a injustiça de ver Henderson ser premiado? Só posso apontar pra algumas probabilidades como clubismo ou até mesmo a análise de critérios objetivos, que premiariam eternamente os atacantes prolíficos.


Porque o clubismo? Porque ano passado na escolha de Raheem Sterling no lugar de Virgil Van Djik, que foi segundo colocado nas disputas de melhor do mundo, não houve tanta chiadeira das redes do mesmo prêmio. Como eu disse anteriormente, em uma democracia às vezes o preferido ganha do melhor, coisas da vida.


Porém, quando se coloca um jogador do Liverpool nestas seleções, já da pra ver o desespero latente e drama exasperado daqueles que se acostumaram com as vacas magras, o que não é novidade pra quem acompanha os Reds a mais tempo.


Quem não lembra do Coutinho contestado na seleção da temporada do campeonato de 2015/16? Quem não vê hoje pessoas que torcem para as falhas de Virgil para ganhar likes com memes prontos de "zagueiro que não da bote"?

Jordan Henderson também foi eleito melhor jogador da Premier League pela BBC (Foto: liverpoolfc.com)

Porque os critérios objetivos que premiam os atacantes prolíficos? Porque desde que os excelentes Messi e Cristiano Ronaldo demonstraram que fazer 60 gols por anos com 30 assistências era possível, as pessoas passaram a confundir o prêmio de melhor com o prêmio de melhores números. Inclusive pensam hoje que Salah caiu de qualidade por não ter repetido seus 32 gols em 38 jogos de 2017/18.


Mas ainda assim é curioso, pois quando N'golo Kanté recebeu seu merecido prêmio pela FWA, ninguém havia questionado suas estatísticas, mas apenas seu vigor sólido que ajudou o Chelsea no título daquela temporada, na qual Kanté tinha apenas 1 gol e 1 assistência. Henderson, nas mesmas características, agora não pode ser considerado?


Henderson merece todos os louros e glórias, apesar de sua injusta perseguição e opiniões de quem não sabe notar a presença sólida do capitão em campo. Até mesmo com comparações furadas com perebas da década passada ou desmerecer pelo fato dele ser inglês.


Não se preocupe, meu capitão. Onde você levar o Liverpool, eu estarei junto reconhecendo o piano que você carregou para tornar todos imortais na história do clube.