Buscar
  • Mauricio Cruz

Missão cumprida!


Foto: Getty Images

O capitão Jordan Henderson está voando!


Jogando muita bola. Mesmo. Dentro de campo ao se desdobrar física e taticamente. Com muita qualidade, “digassi di passage”. Fora dele, ao ser o líder que é.


Mas eu vi isso la atrás. Anos atrás. Não é porque eu previ o futuro, quem dera tivesse esse poder. Mas porque o que precisava para brilhar, Hendo sempre teve. Talento? Garra? Isso também. Mas Jordan, desde sempre, foi Liverpool.


Vejam, o cara chegou para substituir talvez o maior ídolo da história do clube, Steven Gerrard. E substituir em todos os sentidos. Na bola e no vestiário. É um fardo muito pesado, para qualquer pessoa. Mal comparando é como substituir Totti na Roma ou Rogério Ceni no São Paulo. Ainda estão tentando, aliás. Mas Hendo não desistiu. Nunca. E isso me ganhou, desde que Steven G parou.


Lembro que, contra todos, escrevi que Henderson me representaria de forma gigante se ganhássemos do Manchester City na final da Copa da Liga em 2016 e consequentemente o capitão levantasse aquela taça. O título não veio. Dias depois, Jordan estava dando carrinho e vibrando ao tirar uma bola de Sterling, contra o mesmo City, pela Premier. O capitão parecia inabalável.


Veio a derrota na final da Liga Europa pro Sevilla. Na final da Champions para o Madrid (lembro que chorei ao ver meu capitão em lágrimas, triste, na TV). E o cara tendo que dar volta por cima após dar volta por cima. A redenção veio ano passado, com o título da Champions e o choro libertador nos braços do pai. Olha o tanto de carga que o cara carregava nos ombros.


Hoje reina. Entre os haters. Entre os admiradores. Está disputando o prêmio de melhor jogador da Premier League, merecidamente, com chances de ganhar. Jogando futebol, está um assombro. Faz gols, arma, põe companheiros na cara do gol. E ainda corre feito um doente marcando e ajudando o time defensivamente. A garra, aquela do começo de sua caminhada, ainda está lá. A vontade de defender o Liverbird do peito nunca desapareceu.


Esse querer, esse desejo de vencer e de cumprir a árdua missão que lhe foi dada, sempre foi o diferencial de Jordan Henderson.


Missão cumprida, capitão. #YNWA


Quer ficar por dentro de tudo que acontece no dia a dia do Liverpool? Curta a nossa página no Facebook