Buscar
  • Mauricio Cruz

Mal acostumado


É impressionante como a gente se acostuma rápido com coisas boas. É do ser humano, e tenho certeza, psicólogos devem ter um nome cabuloso para esse mecanismo. Tipo você ir num churrasco de rico, só de picanha e bife angus, e depois voltar para sua vidinha de linguiça e frango na churrasqueira.


Esse é o sentimento do torcedor do Liverpool. Eu encabeçando a lista, inclusive.


Me acostumei a ver o time passando o babão na cara dos outros sem dó. 2, 3 anos de superioridade (merecíamos demais a Champions 17/18, cada dia que passa vejo a derrota para o Madrid um acidente, grave, de percurso). Esse time se impunha pela velocidade, pela intensidade física e pela qualidade incomparável. Veio o vice na referida Champions, depois o título no ano seguinte, a Premier avassaladora do ano passado que nos rendeu a taça depois de 30 anos. Ninguém nos parava. A não ser um adversário mais forte que tudo: o tempo.


Já no finzinho da temporada passada dávamos sinais de desgaste. Físico, psicológico, técnico. Daí veio a maré de azar e a chuva de lesões. Gente, perdemos praticamente todos os jogadores do elenco nessa temporada. Tirando meia dúzia de gatos pingados, garotos como Neco e Kelehher entre eles, todo o resto do elenco esteve lesionado em algum momento dessa temporada. Alguns, como todos sabem, muito graves. VVD, Gomez, Jota, Matip, Keita. Houveram momentos em que não tínhamos zagueiros para pôr no campo. Foda.


Não há time que resista. Não há elenco que dê conta desse turbilhão de baixas. Impossível. Essa semana, ao ver a escalação para a partida contra o vice líder da Bundesliga, o RB Leipzig, vindo de 4 vitórias, pensei em outras opções para o difícil confronto da UCL que se deu na Hungria: Fabinho? Milner? Jota? Tudo bichado. Na hora, falei para mim mesmo: Caraca, Klopp está fazendo omelete apenas com quiabo e repolho. Sem ovos. Brioso, o escrete vermelho venceu o jogo e a má fase. 0x2. Vaga encaminhada para as quartas da Champions League.

Time valente! Fonte by BBC
Time valente! Fonte by BBC

Mesmo de joelhos, o time compete. Há um mês atrás, éramos um contender forte ao bicampeonato da Premier League. Agora o City, que também passou por maus bocados, abriu muito e está em vias de levar a taça para Manchester outra vez. Mal acostumado como sou, imaginei em determinado momento da temporada que mesmo sem zagueiros e sem meio time titular, levaríamos a Premier para Anfield de novo. Mal acostumado como estou, sonho com a 7º orelhuda mesmo com o time em frangalhos. Será que na volta contra o Leipzig, daqui há 20 dias, teremos Jota, Fabinho, Milner, Keita de volta? Acho que sim! Teria o pior momento do time passado? Acho que sim, também!


“Só porque ganhamos uma partida, com dois erros individuais dos caras, mudou tudo?”, você me pergunta. Porque não posso acreditar nisso? Porque não posso sonhar com uma retomada? Vocês viram uma mudança drástica de atitude na partida contra os alemães? Eu vi! Vi Salah marcando na nossa bandeirinha de escanteio e dando instruções para TAA na defesa. Vi, claro, o Rei sendo decisivo de novo. Vi o mesmo TAA vivo, lúcido. Vi Curtis Jones fazendo outra grande partida com a nossa camisa, apesar da pouca idade. Vi Alisson sério, jogando feio e fazendo uma grande defesa cara-a-cara. Vi o meio mais vibrante. Vi Hendo líder, mais do que nunca. Vi Mané esperto como sempre. Ainda falta ver Firmino mais acordado? Falta, claro. Falta ver Wij mais presente na frente? Sim! Mas já caminhamos. Lembro, de novo, que até o empate dos foxes semana passada, o Leicester não nos incomodava. Depois tudo ruiu.


Estamos voltando aos trilhos. Devagar. E eu ainda sonho com taças. A orelhuda está aí, ao nosso alcance.


Sou um eterno mal acostumado.


#YNWA