Buscar
  • Pedro Henrique

Liverpool e o seu deserto de ideias


FOTO: Getty Images

Empate em casa com o West Brom, derrota para o Southampton, empates contra Newcastle e United. Todos esses jogos tem algo em comum: O Liverpool não soube o que fazer quando tinha a bola.


Parece até estranho dizer isso sobre o atual campeão inglês, que tem o melhor trio de ataque do mundo, mas é a realidade em que se encontra o Liverpool. A bola queima nos pés dos nossos craques, como se fosse uma batata quente. Será que desaprenderam? Duvido muito. Está faltando é repertorio a essa equipe, que precisa urgentemente de uma nova cara, se é que quer brigar pelos títulos que ainda estão em disputa, e vale o destaque, que ainda são muito possíveis.


Contra os problemas táticos, está o cansaço físico evidente decorrente da pandemia mundial que estamos (SOBRE) vivendo. Klopp faz questão de nos lembrar em todas as coletivas sobre a temporada atípica e sobre o quanto o Liverpool sofreu. Mas hoje, o Southampton, o Leicester, o próprio United, com elencos bem mais limitados que o nosso tem pelo menos cara de time, coisa que não temos hoje.


Isso não significa dizer que são melhores, afinal de contas eu já falei que mil e uma vezes pelas redes sociais ai que esse Manchester do Solskjaer não vai a lugar nenhum.


Hoje vejo uma falha gritante em nosso treinador, que tem clara dificuldades para expandir o seu repertório. Sem dúvidas, a perda de dois zagueiros por toda a temporada de forma repentina, e também o coringa português que parecia o salvador da pátria, compromete um planejamento. Mas é aí que separamos os homens dos meninos.


É aquela famosa frase: ''É mais difícil se manter no topo do que chegar lá''. E esperam que entendem que eu não estou aqui pedindo a cabeça de Klopp não, mas como torcedor do Liverpool, eu espero e sei que o nosso treinador tem capacidade suficiente para consertar os problemas.


E esses problemas são perceptíveis. A começar das laterais, que se evidenciam nas péssimas atuações de Arnold e Robbo (o escocês um pouco menos). Que por conta da zaga com dois volantes, não podem atacar como de costume.


O que me veem a cabeça é: Como os outros times conseguem jogar sem que seus laterais virem pontas de lança? A nossa dupla dinâmica não poderia simplesmente jogar como laterais ''normais''? Isso com certeza já facilitaria as coisas, pra início de conversa.


E o Wijnaldum? Vimos Shaqiri, que voltou pesadinho, voltar a jogar após um longo inverno e já mostrar mais que holandês. Não é possível que não tem uma pessoa dentro da comissão técnica que não enxerga que a função que o jogador faz hoje, é inoperante. A não ser que o gramado de Anfield precisa de uma boa enceirada.


Chegamos ao trio, que pra mim é o mais prejudicado de todos pela ignorância de Klopp. Enquanto Mané e Salah jogarem dentro da aréa e não como ponteiros, veremos cada vez menos gols e eu digo isso porque com a zaga fragilizada e nossos laterais comprometidos, nossa lateral ofensiva será cada vez menos povoada, deixando nosso ataque cada vez mais fraco.


Ou todo mundo acha normal Salah e Mané tomarem um baile de Shaw e Bissaka em pleno Anfield?


Quanto a bobby Firmino, que além de tudo vive uma fase terrível, terá que criar pra ele mesmo marcar, já que só ele tem espaço, no caixote que criamos rente a parede dos adversários no ataque do Liverpool.


São muitas perguntas, eu sei, mas Klopp é capacitado para responder a todas elas. Basta querer.


Que venha o Burnley na quinta... Eu continuo acreditando!


QUER FICAR POR DENTRO DE MAIS CONTEÚDOS SOBRE O LIVERPOOL? ACESSE A NOSSA FÃ PAGE NO FACEBOOK