Buscar
  • Anderson Zotto

John Houlding: o criador do Liverpool


Estátua de John Houlding fixada em Anfield em comemoração ao aniversário de 125 anos do clube

O Liverpool foi fundado em 3 de junho de 1892 por John Houlding, o dono de Anfield. Devido à menções exaustivas de Tiago Leifert e Caio Ribeiro, ouvimos direto que “o Liverpool é filhote do Everton”, “John Houlding brigou com a diretoria do Everton e fundou o Liverpool” e demais frases prontas que dão uma vaga ideia dessa origem conturbada.

O criador de tudo

John Houlding nasceu em algum momento de agosto de 1833, nem mesmo seu local de nascimento é exato. Tudo que se sabe é que realizou seu estudo no Liverpool College e durante a década de 1860 Houlding abriu sua própria cervejaria, conseguindo lucros e renda o suficiente para manter uma vida confortável na classe alta de Liverpool.


Na década de 1880, Houlding decidiu se filiar ao Partido Conservador britânico, conhecido como Tory, para concorrer ao conselho da cidade pelo distrito de Everton, onde morava e mantinha a sua cervejaria.


Neste período, o Everton FC já existia, fundado em 1878. Houlding, então membro eleito do conselho, decidiu também entrar de cabeça na política do clube. Em 1882 ele tirou o Everton de Stanley Park, um parque municipal público, para alugar um terreno em Prior Road. Porém, a parceria com o local durou pouco tempo, visto que o dono logo vendeu o lugar e pediu para o Everton não jogar mais ali.


Membro do conselho municipal e da maçonaria (fundou a Loja Anfield n° 2215 praticamente ao lado do estádio Anfield e foi Venerável Mestre das lojas Everton n° 823 e Hamer n° 1393), usou de sua influência para que um amigo cervejeiro local, John Orrell, tomasse posse e ganhasse a permissão de erguer um estádio em Anfield Road, do lado de Stanley Park, onde o clube costumava jogar anteriormente.


Houlding acabou sendo nomeado presidente do Everton em 1884 para conduzir as fases finais das obras do estádio em parceria com seu amigo. O Everton estrearia no palco mais famoso da Inglaterra naquele mesmo 1884, uma vitória por cinco a zero contra o Earlestown.


A compra de Anfield e os conflitos com a diretoria do Everton

Em 1885, Orrell, que até então alugava para o Everton atuar, decidiu vender Anfield para Houlding por cerca de 6 mil libras, valor hoje equivalente a £776,075.02 levando em conta as correções monetárias de quase 130 anos atrás.


Para ter noção da bagatela, a reforma mais recente que ampliou Anfield, custou 260 milhões de libras. Mas foi justamente a aquisição de Anfield Road que causou o atrito máximo entre Houlding e os os azuis.


No contrato de venda foi especificado que um terreno ao lado do estádio, pertencente ao próprio Orrell,

deveria ganhar uma via de acesso que cruzaria o terreno de Anfield custeado pelo próprio Houlding, e que em caso de reformas em Anfield, o estádio jamais poderia invadir o terreno de Orrell. Esta situação se apresentou incômoda com o crescimento do Everton no cenário nacional e sua consequente popularização.


Desta forma, após o título de 1890, a única maneira de evitar esta cláusula ingrata que impedia o aumento de Anfield para comportar mais gente, seria fazendo com que o Everton comprasse tanto Anfield quanto as terras de Orrell para se apossar em definitivo da região em favor do clube. A ideia parecia ótima para o Everton.


A questão polêmica envolvia o valor a ser desembolsado pelo clube. Houlding cobrava um valor muito maior que o que havia desembolsado na compra de 5 anos antes. A proposta encheria os bolsos do então presidente do Everton, que já gozava de um altíssimo status social na cidade. E o Everton para fazer a compra, deveria ter seu capital aberto para a compra de ações para acionistas de Liverpool.


A ideia desagradou grande parte da diretoria dos Toffees, que viam Houlding como “apenas um ganancioso querendo lucrar às costas do Everton”. Em janeiro de 1892 aconteceu uma reunião de emergência para discutir a acusação contra Houlding.

Já em 15 de março do mesmo ano, os associados do Everton, que eram 279 na época, votaram para que o clube buscasse um novo estádio para mandar os jogos na próxima temporada. O local escolhido foi Goodison Park, localizado à face norte de Stanley Park. cerca de 1,5 quilômetro da fortaleza Anfield.


Houlding e Orrell ficaram com seus respectivos terrenos vazios e um estádio sem clube para atuar. Houlding, enfurecido com a postura dos evertonians, renunciou ao cargo de presidente do Everton e decidiu montar seu próprio clube de futebol em seu próprio estádio.


Assim, em 3 de junho de 1892, Houlding, com a ajuda de conhecidos tanto da vida política quanto populares e maçons, acabaram por realizar a fundação do Everton Football Club and Athletic Grounds Ltd. O nome foi proibido pela Football Association, que alegou que o Everton era o detentor exclusivo do nome.


Como solução, Houlding decidiu homenagear a cidade, chamando o clube de Liverpool Football Club. Pouco mais de 3 meses depois, o ex-presidente dos Toffees levou a campo uma equipe vestida de azul e branco (sim, isso mesmo) contra o Rotherham Town. Alguns jogadores e dirigentes do Everton abandonaram o time para juntar à nova iniciativa de Houlding, um deles o primeiro capitão da história do clube, Andrew Hanna, outro foi William Barcley, primeiro técnico da história do Everton e do Liverpool, que dividiu o posto com John McKenna. Nesta partida, Malcolm McVean marcou o primeiro gol da história do Liverpool e o jogo terminou em sete a um para o time recém-criado.

Um clube profissional começando sua história

Ao fim da temporada de 1892/93, o Liverpool levou a Lancashire League ganhando seu passe para a segunda divisão nacional. Uma época em que o complexo sistema de 24 escalões da atual liga ainda não existia.


Já na estreia na segunda divisão, em 1893/94, a equipe de Houlding se mostrou uma máquina imparável, conquistando 22 vitórias e 6 empates, sendo campeão com 50 pontos. Além de vencer todos os jogos em Anfield, assim nascendo a Anfield Fortress.


Na época, a FA apresentava um sistema chamado "test match" para os 3 melhores colocados da segunda divisão e para os 3 piores colocados da primeira divisão se enfrentaram no cruzamento: 1° x ultimo, 2° x penúltimo, 3° x antepenúltimo. O Liverpool enfrentou o Manchester United quando este ainda se chamava Newton Heath. E, com uma vitória por dois a zero, o Liverpool ganhou o direito de jogar na elite inglesa pela primeira vez na história.


Na temporada 1894/95, o péssimo desempenho geral e a lanterna na estreia na primeira divisão colocaram o time ao test match novamente. O Liverpool enfrentou o Bury, campeão da segunda divisão (sim, o time que faliu em 2019), e uma derrota por um a zero levou o time de Houlding à segunda divisão novamente.


A péssima temporada sepultou o uniforme azul e branco do Liverpool, sendo adotada a coloração vermelha (para camisetas) e branca (para bermudas) para a equipe a partir de 1895/96.


O Liverpool novamente foi campeão da segunda divisão, com um futebol menos avassalador que o de dois anos antes. Mas ainda assim o suficiente para carimbar o passaporte para a primeira divisão ganhando no test match.


Nesta temporada, o test match se apresentava de forma diferente: os dois últimos da primeira divisão contra os dois primeiros da segunda divisão jogando ida e volta entre si. Os dois primeiros seguiriam para a primeira divisão da próxima temporada.


O Liverpool bateu a equipe do Small Heath, atual Birmingham City, por quatro a zero no agregado (uma vitória por 4-0 e um empate sem gols) e empatou em dois a dois no agregado com o West Bromwich Albion (uma vitória por 2-0 e uma derrota pelo mesmo placar). Por motivos nunca esclarecidos, o Liverpool não jogou contra o segundo colocado daquela segunda divisão, o Manchester City, e acabou se classificando para a primeira divisão junto ao West Bromwich.


Com equipes mais seguras, o Liverpool foi se estabelecendo ao poucos como um adversário perigoso nas temporadas seguintes do futebol inglês, numa década amplamente dominada pelo Aston Villa.


Uma nova era começou, o preâmbulo do gigante Liverpool

Em 1896, John McKenna indicou o então treinador do Sunderland, Tom Watson, tricampeão com a equipe de Wearside, para o suceder no cargo de treinador do Liverpool. A partir desta indicação, Watson se tornaria o treinador mais longevo no cargo (recorde mantido até hoje) ficando até sua morte em 1915.


No ano de 1897, Houlding acabou dividindo funções. Enquanto presidente do Liverpool Football Club, acabou também sendo eleito para ocupar o cargo de lorde prefeito de Liverpool, cargo que ocupou durante dois anos.


Em 1898/1899 o Liverpool brigou até o fim pelo título contra a equipe de Birmingham, porém acabou ficando apenas com o segundo lugar. Ali, Tom Watson já dava mostras do porque era o treinador ideal para elevar o patamar competitivo dos Reds.


Já na temporada de 1900/01, após nove anos de fundação, o Liverpool apresentou suas credenciais como potência britânica ao ser campeão inglês pela primeira vez. A equipe fez 45 pontos e aproveitou a má temporada do Aston Villa para disparar na liderança. No fim, acabou brigando contra o ex-clube de Watson, o Sunderland.


Houlding viu ali, pela primeira vez, o clube que ele criou atingir um título de alto escalão e consagrar o seu sucesso como administrador e gestor.


A gestão do criador do Liverpool chegou ao fim

Houlding convivia com uma doença desconhecida à epoca desde 1899, decidindo passar um tempo na cidade de Nice, na França, para realizar um tratamento. O fundador do Liverpool FC acabou falecendo no dia 17 de março de 1902.


A primeira vez que viu sua criação chegar ao sucesso acabou sendo, também, a última.


O funeral parou a cidade e Houlding teve seu caixão carregado por jogadores do Liverpool e do Everton, como um sinal de reconhecimento do que Houlding fez pelo futebol da cidade de Liverpool, como primeiro presidente da história de ambos os clubes.


O legado de Houlding se sustenta com força total, Liverpool ainda é a cidade mais vitoriosa das ilhas britânicas e uma das mais vitoriosas da Europa graças ao esforço de um cervejeiro local que pegou gosto por futebol, política e disciplina.

Foto oficial do time do Liverpool campeão inglês de 1900/1901