Buscar
  • Guilherme Tourinho

Fim de temporada? O que esperar do Liverpool sem Van Dijk

Texto de @GTourinho8

O Liverpool ficará sem o zagueiro Virgil Van Dijk, lesionado na última partida contra o Everton pela Premier League, por cerca de 7 a 8 meses, fazendo com que o holandês perca a temporada.


Virgil é um dos pilares do atual Liverpool, tanto na construção das jogadas, como na organização defensiva. Até Janeiro, quando inicia a janela de transferência de inverno, o Liverpool terá disponível para defesa os zagueiros Joe Gomez e Joel Matip; O volante Fabinho que já atuou como zagueiro nesta temporada; Além dos jovens defensores Billy Koumetio e Rhys Willams, que apareceram com o time na pré-temporada e na EFL Cup, respectivamente.

Construção das jogadas


Van Dijk contribuí iniciando as jogadas e até mesmo servindo os companheiros a gol com passes longos. Na temporada passada, teve média de 5,4 passes longos por partida. Passes que tem como características quebrar linhas adversárias, encontrando a defesa desprevenida e companheiro livre para marcar, como na partida de ida das oitavas da Champions League contra o Bayern, em que o zagueiro deixou Mané cara a cara com o alemão Neuer.


Para manter esse padrão, Klopp precisaria contar com Fabinho, que por muitas vezes já serviu a companheiros com passes longos, ou até mesmo o Joe Gomez que arrisca alguns lançamentos na partida, mas não com a mesma precisão do holandês.

Van Dijk deixou Mané na cara do gol contra o Bayern de Munique

Comportamento das linhas


O Liverpool é um time que marca com os blocos altos e pressiona o adversário em seu campo, e isso se dá pela velocidade dos seus zagueiros, que conseguem recompor e combater os atacantes adversários.


Sem o Van Dijk, é possível que mude a organização e o time não avance com os dois defensores, para não ceder tantos espaços, visto que adversários como Ajax (time do mesmo grupo do Liverpool na Champions) têm como característica aproveitar os espaços cedidos.

Última linha de marcação da defesa do Liverpool

Bolas aéreas


Uma das características do holandês é a precisão e aproveitamento nas bolas aéreas. Na temporada passada (19/20), o Holandês teve aproveitamento de 76% nos duelos aéreos, uma média de 5 duelos ganhos por partida.


O atual campeão deverá sentir a falta da presença do holandês nas jogadas de bola aérea, presença de área, imposição. Entretanto, não deve se tornar um problema tão sério, visto que Matip tem um bom aproveitamento em bolas aéreas e costuma ser uma opção a mais no setor ofensivo quando vai para área. Nos 9 jogos que fez pela Premier League passada, Matip teve um aproveitamento de 90%, cerca de 5.2 duelos ganhos por partida.


Elenco


O Liverpool terá somente dois zagueiros disponíveis para a maior parte da temporada. Não foi contratado o “quarto zagueiro” e agora sofremos para ter uma reposição.


Klopp deve utilizar o Fabinho quando Matip ou Gomez não estiverem disponíveis. Mas o clube ainda tem os jovens defensores Koumetio e Williams, que pelo perfil do técnico, não devem assumir a responsabilidade de serem titulares se não estiverem “prontos” ou minimamente preparados para as partidas.

Rhys Williams e Van Dijk jogaram juntos contra o Lincoln City pela EFL Cup (Foto: liverpoolfc.com)

Resumo


O modo alerta está ligado e não é para menos, o Liverpool perde ainda no inicio da temporada o melhor jogador na posição e nenhum clube conseguiria repor a altura, porém nem tudo está perdido. Jurgen Klopp é um treinador que em sua carreira ficou conhecido pela capacidade de se adaptar com os elencos que tinha e sem precisar fazer gastos exorbitantes.


Na primeira temporada, com um elenco longe do ideal, levou o time a duas finais. Óbvio que a exigência cresceu, e para competir precisa demonstrar um futebol e uma consistência melhor e mais recorrente, mas nada é impossível no Liverpool de Jurgen Klopp.