Buscar
  • Guilherme Ferreira

Liverpool sem dinheiro? Michael Edwards dá um jeito!

Texto por Guilherme Sales da @livfcbr

Michael Edwards, Klopp e Mike gordon planejando a próxima contratação (Foto: Getty images)

Até dois ou três dias atrás, o clamor dos Reds era uníssono: queremos contratações! Diante deste cenário, fizemos o décimo sexto episódio do nosso podcast com o intuito de explicar os porquês da FSG e sua trupe estarem tão cautelosos quanto a essa janela de transferências.


Indo na mesma linha do que abordamos em nosso podcast, o Klopp afirmou que o Liverpool não iria se comportar como o Chelsea nessa janela de transferências e adotou um tom que levou os torcedores a crerem que, de fato, o Liverpool não fosse contratar.

Até então apenas o Tsimikas tinha sido comprado. Porém, ontem, 18 de setembro, o Liverpool anunciou a contratação do Thiago Alcântara. Não satisfeito, o clube também anunciou o Diogo Jota.


Mas o que aconteceu que, em dois dias, o Liverpool se movimentou tanto? Acharam petróleo em Anfield? O Klopp quebrou o cofrinho da FSG? Ganharam no jogo do bicho? Seria Jürgen um hipócrita?


Desde o início da janela de transferências, a política do clube era nítida: vender para poder comprar. O já citado Tsimikas foi comprado por cerca de £11,75 milhões, mas isso foi garantido após a venda de Lovren pelo valor de £10,9M.


Diante das vendas abaixo do esperado (a diretoria planejava arrecadar, por exemplo, £40M com a dupla Grujic e Harry Wilson), foi necessário acionar o mago das negociações: Michael Edwards - diretor esportivo do maior clube inglês.


Contratações dignas de Brasilzão

Thiago Alcântara foi contratado no "11478614x sem juros" (Foto: liverpoolfc.com)

Apesar de Thiago e Jota terem sido adquiridos por um preço um tanto quanto salgado, a curto prazo eles custarão somente cerca de £9M aos cofres do Liverpool. Isso porque, no melhor estilo Casas Bahia, o clube irá pagar parcelado.


Thiago foi comprado pelo montante de £20M (que pode chegar a 25 com os add-ons), porém, que serão diluídos nos quatro anos de contrato e serão equivalentes a £5M por temporada. Já o Jota foi adquirido por £41M (que pode chegar até a 45 com os adicionais), porém o Wolverhampton aceitou receber somente cerca de £4M de cara e parcelar o restante.


Sim! Visualizando um futuro financeiro mais ameno e enfrentando as dificuldades causadas pela pandemia, a diretoria encontrou uma forma de reforçar o elenco e postergar os compromissos.


Isso sem falar que o Liverpool vendeu o Hoever para o mesmo Wolverhampton. O lateral/zagueiro que outrora foi comprado por £90k, foi vendido por £9M (podendo chegar a £13,5M com os adicionais). Isso mesmo, a diretoria usou um jogador de uma posição que já está garantida por anos (Arnold e Neco) para abater na compra de uma lacuna a ser preenchida (reserva pra Mané e Salah). E indo no mesmo ritmo, outros jogadores devem ser vendidos até o fim da janela.


Portanto, não caiam na besteira de falar que o Liverpool poderia ter comprado o Werner, o Upamecano ou seja lá quem for. As diretorias dos respectivos clubes dificilmente aceitariam tal forma de pagamento, haja vista que eles estão mega valorizados e, a curto prazo, não entraria dinheiro suficiente pra repor as perdas. 

É, na terra dos Beatles a responsabilidade financeira continua sendo o tema. Ah, e o que falar do Michael Edwards hein? Ele causa inveja até no Rick do trato feito e conseguiria vender shampoo pro Guardiola.