Buscar
  • Felipe Sales

A história do Liverbird, o pássaro símbolo de Liverpool e do Liverpool


O pássaro que faz parte do emblema dos Reds desde a sua fundação é um símbolo famoso da cidade de Liverpool desde o século XIV, e esteve presente em todas as variações dos emblemas do clube. Foram dez escudos ao longo dos 128 anos e todos contaram com o Liverbird, inclusive o atual.


O Liverbird é uma herança dos primórdios da fundação da cidade de Liverpool, envolvendo o Rei João, que fundou a cidade no ano de 1207, passando pelo seu filho Henrique III, que assinou a segunda carta real em 1229, e foi encontrado pela primeira vez num selo datado de 1352.


Por conta da má qualidade do selo, existem diversas teorias sobre o Liverbird. As principais e mais conhecidas são de alguns historiadores que dizem que o pássaro era uma águia, um símbolo de João Evangelista, o santo padroeiro de Rei João. Já a versão do antiquário Richard Brooke afirmava que era uma pomba.

Após inúmeras reviravoltas, inclusive com o esquecimento dessa polêmica. Em 1611 os registros municipais começaram a interpretar a ave como um cormorão, um pássaro comum na cidade. No ano de 1796, o prefeito Clayton Talerton descreveu o pássaro como "uma alavanca ou cormorão do mar".

Os Liverbirds "Bertie" e "Bella" no topo do Royal Liver Building (Foto: Reprodução/Liverpool Echo)

Em março de 1797, além das armas e da crista que estavam no selo, Sir Isaac Heard e George Harrison adicionaram dois apoiadores, Netuno, rei do mar, e o seu filho, Tritão. E complementaram com os dizeres "Deus nos concedeu essa facilidade" ou "Deus nos concedeu essas bênçãos".


Acredita-se que a inclusão de Netuno e Tritão seria uma referência ao Rei João e o seu filho Henrique III, figuras importantes na fundação da cidade. O Liverbird e seus apoiadores seguem na bandeira da cidade inglesa.


Além de ser reproduzido em vários monumentos no centro da cidade de Liverpool, os símbolos estão presentes também no topo do Edifício Royal Liver Buildind. O Everton Football Club também utilizava o pássaro em seu emblema, mas em 1930 resolveu trocá-lo pelo Everton Lock-up, outro ícone Liverpoodlian.