Buscar
  • Anderson Zotto

A era de ouro do Merseyside Derby

Atualizado: 27 de Jan de 2020


Ian Rush driblando dois defensores na final da FA Cup de 1989 (Foto: Liverpool Echo)

O jogo que nasceu como rivalidade desde a briga de John Houlding com a diretoria do Everton Football Club, que levou à criação do Liverpool e a construção do estádio Goodison Park a menos de 200 metros de Anfield, chega ao seu capítulo atual com o Liverpool no melhor momento desta década.


Liverpool e Everton farão o confronto de número 234 na história do Merseyside Derby. Os Reds não contarão com o zagueiro Joel Matip, ainda se recuperando de lesão, e com o goleiro Alisson, expulso no último jogo por tocar com a mão na bola fora da área. A provável escalação é: Adrián, Alexander-Arnold, Van Djik, Lovren e Robertson; Henderson, Wijnaldum e Ox-Chamberlain; Salah, Mané e Firmino.


A partida contará com a transmissão da ESPN Brasil, às 17h de hoje (04/12).


Um passado glorioso do Merseyside Derby


O Liverpool, desde a década de 1970, era a potência nacional e continental da Inglaterra, chegando na década de 80 como o time a ser batido, após ser campeão inglês em 1979/80. Já o Everton vivia entre altos e baixos. Após um 4° lugar na temporada de 1978/79, o time viveu um ano de terror e quase foi rebaixado na temporada 1979/80, ficando apenas uma posição acima da zona de rebaixamento. Na temporada de 1980/81, o Liverpool ganhou a Copa da Liga e a Champions League, enquanto no campeonato nacional terminou em 5° lugar com uma campanha fraca para o seu padrão do período. Já o Everton novamente brigou contra o rebaixamento dentro do campeonato inglês.


Em 1981/82, o Liverpool voltou a ganhar a liga, e o Everton, com um elenco renovado, acabou apenas conquistando um oitavo lugar, sem se classificar para torneios continentais.


Nos anos seguintes, o Liverpool continuou imbatível na liga nacional, com o Everton apenas beliscando algumas vagas continentais até o ano de 1983/84. Neste ano, Everton e Liverpool realizaram o primeiro embate sobre a hegemonia de Merseyside sobre o futebol britânico. Na final da Copa da Liga realizaram o duelo de titãs. O primeiro jogo da final, em Wembley, terminou com um empate sem gols. Na época o regulamento previa que um empate ao fim dos 90 minutos daria uma prorrogação extra de 30, se mantida a igualdade, seria realizada outra partida.


Assim se deu, no segundo jogo daquela final, realizado em Maine Road, antiga casa do Manchester City, Graeme Souness marcou o gol solitário, após receber um passe de Kenny Dalglish. O Liverpool então foi campeão da Copa da Liga e de novo conseguiu um triplete ao final da temporada.


O Everton, mais tarde, conquistou o seu primeiro troféu desde o título da liga inglesa em 1969/70, que foi a FA Cup, ao bater o Watford por 2-0 em Wembley.

Final da Copa da Liga de 1983/84:

Com cinco títulos ingleses nos últimos seis anos, o Liverpool entrou na temporada de 1984/85 para a busca do campeonato. O Everton, motivado pelo título da FA Cup, desejava vencer a liga, tanto para quebrar o jejum de 15 anos quanto pelo prazer de tirar o título das mãos dos rivais.


O primeiro confronto da temporada, pela Charity Shield, já era um Merseyside Derby. O campeão inglês contra o campeão da FA Cup, e Bruce Grobbelar ofereceu uma palhinha de como seria aterrorizante aquele ano para os Reds.


Num ataque do Everton, Bruce busca a dividida, o atacante Adrian Heath do Everton dribla e bate para o gol, Alan Hansen se coloca à frente da bola para tirar, Bruce tentando recuperar a meta não enxerga a bola e a chuta sem querer para a própria meta. Everton 1-0, e a primeira derrota para o Everton no ano.


Pela liga, o Everton sequer deu chance para o Liverpool. O ano de 1984/85 simbolizou quase tudo de péssimo para os Reds. O Everton ganhou o campeonato com 13 pontos de vantagem e com mais 2 vitórias sobre o Liverpool. Raras vezes ambos se enfrentaram três vezes numa temporada e algum deles ganhou os três jogos.


O Liverpool não conquistou um título pela primeira vez desde a temporada 1974/1975, vendo o seu rival tirar um jejum de 15 anos sendo campeão inglês. Ainda naquele ano, para piorar, aconteceu o desastre de Heysel, que é assunto para outro texto. Gol contra de Bruce Grobbelaar na Charity Shield de 1984:

Na temporada 1985/86, o Liverpool, em busca de reafirmar sua hegemonia, estava totalmente disposto a se vingar do Everton. Em um campeonato que foi disputado até o fim, a dupla de Merseyside teve a grata surpresa de enfrentar o West Ham como oponente ao título, equipe de poucos feitos e nenhum campeonato nacional conquistado em sua história.


A liga foi até as rodadas finais e terminou mostrando o calor daquela disputa. O Liverpool foi o grande campeão com 88 pontos, ficando à frente do Everton, vice-campeão com 86 pontos, e do West Ham, terceiro colocado com 84 pontos. Já pela FA Cup, ambos se reencontraram na final. O Liverpool, sem piedade ao maior rival, venceu por 3-1. Vitória que premiou uma vingança ao Liverpool e o mantimento da hegemonia dos Reds, marcando o auge da rivalidade de Merseyside. Final da FA Cup de 1985/86:

Mordidos e com a meta de não dar paz ao maior rival, o Everton entrou na temporada de 1986/87 com a mesma meta de 1984/85: derrubar o Liverpool e criar a sua própria hegemonia.


A temporada começou com um empate pela Charity Shield, porém ambos os clubes concordaram com a divisão do título, para excluir a necessidade de um jogo 2. Pelo campeonato, mais uma vez o Everton dominou, deixando todos comendo poeira. Porém, pela Supercopa da Inglaterra, um torneio criado para compensar a exclusão inglesa das competições continentais, o Liverpool foi impiedoso ao Everton, com uma vitória de 3-1 em Anfield e 4-1 em Goodison Park. Enquanto pela liga, o Everton empataria o jogo em casa em 0-0 e perderia fora por 3-1.


Mas no fim, o domínio do Liverpool nos confrontos daquele ano não ajudaria a ganhar nenhum título e a liga inglesa novamente iria para o Everton, desta vez com uma vantagem de 9 pontos sobre o Liverpool. Este foi o último capítulo dos anos dourados da rivalidade entre Liverpool e Everton, já que no ano seguinte o Everton não daria o trabalho que deu nos 4 anos anteriores aos maiores rivais.


Sem grandes dificuldades, o Liverpool novamente ganhou a liga inglesa na temporada de 1987/88, com o Everton terminando na 4° posição e 20 pontos atrás. Porém, no ano de 1989, a rivalidade teve um epílogo eletrizante, que foi a final da FA Cup. O Everton já havia retornado ao meio da tabela na liga, e o Liverpool ainda era a potência nacional a ser batida. John Aldridge abriu o placar aos 4 minutos do jogo, que parecia se encaminhar para mais um título dos Reds. Mas aos 90 minutos, o meia Stuart McCall, que veio do banco, igualou a disputa, levando o jogo à prorrogação.


Na prorrogação, o já lendário Ian Rush, que também veio do banco, colocou o Liverpool novamente na frente. Mas McCall, motivado a um duelo de decisão com Rush, novamente igualou a partida. Pouco antes do final do primeiro tempo da prorrogação, Rush marcou mais um gol, que deu o título aos Reds no final. Esta foi a última vez na história que o Merseyside Derby decidiu um título.


Era o fim da era de ouro do futebol de Merseyside. Final da FA Cup de 1988/89: